Água que foi para lua

25 Nov 2020

A água mineral levada ao espaço pelos astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins em 1969 na missão Apollo 11 era brasileira, especificamente da cidade de Lindoia, no interior de São Paulo.

A empresa, chamada Irmãos Carrieri, atual Lindoya Verão, foi escolhida para hidratar os astronautas durante a missão.

A cópia da nota fiscal confirma o pedido de 100 dúzias de garrafas de água de meio litro para a Missão M. Americana, EUA, no valor de NCr$ 226, Cruzeiro Novo, moeda brasileira da época. 

As 100 garrafas de vidro e com tampa de alumínio, padrão da época, seguiu destino para a Nasa e, logo após, para o espaço.

A água mineral de Lindoia foi objeto de estudo da cientista Marie Curie em 1926. A mulher mais importante da história da ciência esteve no Brasil atraída pela fama das águas radioativas de Lindoia. Ela foi à cidade do interior de São Paulo a convite do prefeito Francisco Tozzi. A cientista constatou que a água tinha benefícios terapêuticos. Depois desse estudo, a Nasa teria considerado a água mineral paulista a mais adequada para os astronautas.

Segundo o diretor geral da empresa, Cesar Dib, a água que foi à Lua "contém baixa concentração de sais, PH neutro e nutrição rica em cálcio e magnésio. Por ter uma grande quantidade de oxigênio e ser a mais pura, foi considerada perfeita para a missão Apollo 11".

VOLTAR