Dr. Francisco Tozzi

18 Nov 2020

O Doutor Francisco Antonio Tozzi nasceu no dia 18 de junho de 1870, em Benevento, na Itália. Formou-se em medicina em Nápoles, e veio para o Brasil em 1901, por convite de um conterrâneo, que lhe relatou sobre as águas da região, juntamente com seu tio, o padre Henrique Tozzi. As águas termais de Águas de Lindóia já eram conhecidas no século XVIII (início de 1700) pelo nome de terra das "Águas Quentes". 

Em 1901, Tozzi ficou surpreso com a cura de eczema na perna do seu tio-padre, o local das águas que o curou era chamado de "Águas Quentes", localizada hoje o Balneário. Tozzi soube que as terras estavam em leilão e a partir disso adquiriu-as. 

Em 1913, construiu seu pequeno consultório de pau-a-pique. E em 1914 sua família mudou-se para a pequena casa, e ele continuou trabalhando para a auto suficiência de uma estância de cura e repouso.

Em 1920, o médico cientista Celestino Bourroul havia feito um estudo científico sobre as águas. Em 1928, a fama das águas cresceu e o Dr. Tozzi recebeu a visita da cientista polonesa, radicada na França, Madame Curie. Após analisar o valor terapêutico das águas radioativas, tornou-se conhecida na Europa pelo seu trabalho publicado. 

Em 1937, no auge da fama, aos 68 anos, morreu o Dr. Tozzi. Um ano depois, Termas de Lindóia conseguia a emancipação político-administrativa de Serra Negra, graças ao político e médico Vicente Rizzo, genro do Dr. Tozzi.

Em 1946, Macedo Soares, governador do Estado, resolveu desapropriar as fontes e áreas de terra que as circundavam, evitando as especulações. Em 1954, começou a construção do novo balneário, terminando em 1959. 

Hoje, Águas de Lindóia é conhecida como a Capital Termal do Brasil, com uma das maiores e melhores redes hoteleiras do País e é internacionalmente reconhecida pelas suas águas como grande potencial de cura, pela hidroterapia e pelo turismo aplicado ao repouso e lazer.

VOLTAR